Notícias

» 23.06.2008

Lixo vira desconto em conta

Garrafas pet e latas de alumínio agora podem ser trocadas por um desconto na conta de água no Aglomerado da Serra, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. A proposta de transformar em economia o que era apenas lixo e sinônimo de poluição ambiental vai beneficiar cerca de 80 mil pessoas que vivem em sete vilas e favelas no local. Essa é a primeira expansão do programa Vale água, lançado há dois anos no Morro Santa Lúcia, também na Região Centro-Sul, para atender 30 mil moradores.

A troca do material reciclável pode ser feita no posto de atendimento da Copasa dentro da Vila Cafezal, na Rua Serenata, 51. Nessa agência, os produtos são pesados e o morador recebe na hora um comprovante com o valor do desconto a ser dado na próxima conta de água. O que for entregue pela comunidade tem valor médio de mercado, ou seja, um quilo de embalagens pet (26 garrafas de dois litros) vale R$ 0,45. Já o quilo de latas de alumínio (65 unidades) é equivalente a um desconto de R$ 3,12.

Caso o material recolhido pelo morador seja maior que o valor da conta, o crédito será acumulado para o mês seguinte. O bônus também pode ser usado para quitar débitos anteriores com a Copasa, no entanto o programa não prevê repasse de dinheiro aos participantes. Além de não estabelecer um limite para a troca, o programa beneficia todos os tipos de consumidores, sejam os de imóveis residenciais, comerciais ou públicos, como associações comunitárias, escolas e igrejas.

Estímulo

Os principais objetivos do Vale água são beneficiar os clientes de baixa renda, estimular a reciclagem e diminuir o volume de lixo lançado no meio ambiente. 'Além da economia na conta de água dos nossos consumidores, o programa retira das ruas grande parte do material que contaminaria a natureza por não ser biodegradável. Essas latas e garrafas pet seriam jogadas nos rios, bueiros e fundos de vale e agora serão reaproveitadas. O esforço dessas comunidades em recolher o material para obter o desconto tem reflexos positivos para toda a sociedade', disse o presidente da Copasa, Márcio Nunes.

Os produtos adquiridos pela Copasa serão repassados, pelo mesmo valor a cooperativa Cataunidos, que reúne nove associações de catadores de materiais recicláveis de várias cidades de Minas. Dentro do Aglomerado da Serra, serão contempladas as vilas Fátima, Marçola, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Conceição, Cafezal, Fazendinha e Vila Izabel.

'Vai ser ótimo ver nosso lixo ser transformado em dinheiro. Com essa economia que vamos fazer na conta de água, vamos poder pagar outras despesas', contou a presidente da Associação de Moradores da Vila Nossa Senhora Aparecida, Horizontina da Silva.

Já a líder comunitária da Vila Nossa Senhora da Conceição, Irene Lopes, espera ver os becos do aglomerado mais limpos. 'Ficar livre do lixo vai significar menos doenças, menos enchentes e mais beleza nas ruas', disse Irene. No Aglomerado Santa Lúcia, o Vale água teve boa aceitação entre os moradores e, desde a sua implantação, em junho de 2006, já foram recolhidos 91kg de latas de alumínio e 622kg garrafas pet.

Segundo o governador Aécio Neves (PSDB), o programa vai ajudar a despertar, nas comunidades atendidas, a atenção para os cuidados com o meio ambiente. 'O Vale água pode ser visto por dois lados. O primeiro é o desconto para os moradores e o segundo, a oportunidade para que os jovens cresçam tendo consciência da importância de manter limpo o lugar em que vivem', afirmou Aécio.


Fonte:  Glória Tupinambás (Estado de Minas)

voltar

Kubitz 2008 ® Rua São Paulo, 2527 - Cascavel / PR - Fone: +55 (45) 3225-2066 - Skype: gersonkubitz
Política de privacidade